ascentuando

Escrito por: Gislei GISLEI BRASIL, GISLEI, Gislei, G I S L E I, g i s l e i, G i s l e i sexta-feira, 4 de agosto de 2017
separtitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitle
Acho que as postagens mais complexas e difícil de externar em palavras são as de cunho pessoal, aquelas que exprimem mesmo alguns sentimentos, medos, incertezas, imaginações, pensamentos, inspirações..
Sexta-Feira, já é agosto há três dias, e o tempo não para de correr, minhas férias estão na reta final e já imagino e anseio pelas próximas. Havia me esquecido dessa sensação boa que é estar realmente em casa, antigos amigos, sentir-se livre, sentir-se em casa. Os dias tem sido tranquilos, preguiçosos, e nostálgicos. Em pensar que domingo volto pra capital, e a rotina se repete, dá um nó na garganta, e o sufoco tenta tomar conta, mas ainda consigo o domar. Como se não bastasse os anseios pessoais, ainda tem essa bagunça aqui no brasil, sobre toda essa sujeira que estão fazendo no pais, queria não me importar com isso, mas não é simples para uma pessoa sensitiva, então o jeito é ir a luta. 👊
-
As vezes sinto um cansaço extremo, uma falta de inspiração, e os questionamentos vem a tona na maioria das vezes sem respostas. Um dos passatempos favoritos aqui no interior e sair com os amigos para barzinhos ou reuniões em casa, sempre acompanhado de algumas cervejas e cigarros, esse ultimo quesito estou tentando reduzir até largar de vez. Esse diário virtual tem sido uma válvula de escape para tanta coisa que se passa pela minha cabeça e as vezes não encontro métodos de externar. Não gosto muito de ficar em casa sexta a noite, mas uma gripe acabou me retendo hoje. Amanhã meus amigos estão a programar um acampamento em um povoado vizinho, e quem me acompanha sabe como eu amo acampar, ainda mais com minha turma, mas a viagem pra capital já no fim de semana, e coisas que preciso organizar até domingo me impedem de ir. Como seria bom se existisse um botão que frisasse alguns momentos, e desse next em outros.
Seguindo o baile, vamos para a tv ver o que está passando e se afogar em redes sociais. 👻

final de semestre, férias, s.o.s

Escrito por: Gislei GISLEI BRASIL, GISLEI, Gislei, G I S L E I, g i s l e i, G i s l e i terça-feira, 4 de julho de 2017
separtitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitle

Já estamos na primeira semana de julho e nada de férias, quando eu vim aqui para a capital eu não fazia a minima ideia de como a vida acadêmica/universitária era complexa. Acostumado com os discursos de incentivo e os alto elogios nunca me liguei muito em estudar o dia todo, ou pegar firme nos estudos antes de fazer uma boa prova, o conteúdo das administrado nas aulas e as leituras consequentes eram o suficiente para garantir minhas médias sempre acima de 8, e quando estava fora de foco as vezes um 7. Eu imaginava que a vida na universidade não iria ser como o colégio, entretanto, não passava pela minha cabeça que as coisas iriam mudar tão radicalmente, em todos os quesitos, salientando aqui o do método de ensino; Já estou indo para o quarto semestre e percebo o quanto evolui, tive o infortúnio de ficar de final em uma matéria (chama-se a recuperação de final, vai entender). Hoje refletindo sobre o assunto, ressoou um choque em mim, quando finalmente percebi que precisava me empenhar mais para evitar situações como essa.

Quando percebo o empenho de meus pais para que eu tenha um ensino de qualidade e um nível superior decente, e o desejo de me ver um bom profissional realmente a motivação aparece e vem com uma força indescritível. Espero pelo próximo semestre, mas não com muita pressa haha, no mais, estarei mais preparado que o anterior! :)

Sense8

Escrito por: Gislei GISLEI BRASIL, GISLEI, Gislei, G I S L E I, g i s l e i, G i s l e i quarta-feira, 21 de junho de 2017 ,
separtitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitle

É difícil descrever Sense8 em poucas palavras. É uma série de ficção científica; É um drama conjunto; É um comentário cultural sobre o mundo em que vivemos. É emocionante; É doloroso; É lindo - é tudo o que está acima. Mas talvez esse seja o ponto, como os oito estranhos que eventualmente se juntam para criar uma família única de "ˈsɛnseɪt" (indivíduos mentalmente e emocionalmente ligados em todo o mundo), são todas essas diferenças que se unem para formar uma série incrivelmente comovente e fantástica.

O que considerei mais forte em Sense8, sem dúvida, foi a relação entre o principal elenco de personagens: os oito senseits, bem como vários de seus amigos, amantes e aliados. Como Capheus, Sun, Nomi, Kala, Riley, Wolfgang, Lito e Will navegaram nas complexidades de sua conexão inesperada, a série também proporcionou aos telespectadores a oportunidade de conhecê-los de uma maneira única. O vínculo sensível, para melhor ou pior, é fortemente íntimo; Quando experimentam a turbulência emocional de outra pessoa, a dor física ou o prazer arrebatador. O público, por sua vez, adota o papel de um nono senseit, como uma janela através da qual nos deixa testemunhar tudo. Os senseits não podem esconder nada uns dos outros, e nada está escondido para todos nós seguindo a jornada. É por isso que os fãs da série são mais do que meros fãs; Eles também podem ser considerados familiares.



Vou sentir falta da série, dos personagens, desse elenco incrível e que transmitiu tão bem essa bela mensagem. Mesmo em seu curto tempo sense8 conseguiu transmitir sua mensagem de forma clara e profunda, absorvi ensinamentos incríveis sobre a vida e suas tramas.
Sou suspeito em escrever sobre a série, afinal, me tornei fã. O que o  Sense8  conseguiu realizar para o gênero de ficção científica dentro de 23 episódios não pode ser subestimado. Ofereceu comentários intrincados e envolventes sobre questões de sexualidade, gênero, política, religião e raça; Abrangeu oito cidades e sete países; Retratou a beleza da conexão humana, tolerância e compreensão; E isso me lembrou como o mundo pode ser grande, e que nossas histórias são mais universais do que percebemos. Independentemente das tentativas da série de criar um arco envolvente envolvendo uma conspiração governamental, nunca houve dúvida de que o que mais ressoou foi a sua mensagem sobre o amor.

Sense8 é o tipo de série que não enchia meus olhos, entretanto, esses dias vi um post da Maira em seu blog sobre o elenco da série e assisti o primeiro episódio, consequentemente fui ao segundo, e quando me dei conta já estava no ultimo episodio da primeira temporada. Fico triste quando percebo que algo tão maravilhoso tão terá uma continuidade, assisti lentamente a segunda temporada e imagino probabilidades que não irão existir, enfim, uma série sensacional que trás a luz reflexão  em todos os sentidos.

Piscinas naturais, em harmonia com a natureza e o ambiente.

Escrito por: Gislei GISLEI BRASIL, GISLEI, Gislei, G I S L E I, g i s l e i, G i s l e i segunda-feira, 12 de junho de 2017 ,
separtitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitle
Piscinas naturais não são só aquelas formadas espontaneamente em algumas regiões  próximas ao mar. Elas são também uma alternativa ecológica à piscina convencional, que requer cloro e outros produtos químicos em sua manutenção.
Uma piscina natural satisfaz a nossa saudade de descanso e relaxamento. A água pacífica acrescenta uma nova dimensão ao jardim, criando um efeito calmante e calmante. Uma piscina natural ficará deslumbrante ao longo do ano e também é uma maneira eficaz de melhorar a beleza do seu jardim no inverno.

O visual da piscina natural pode ser mais rústico, com pedras e areia, por exemplo, imitando um lago, ou então manter o aspecto da piscina tradicional, porém com uma área de plantas a mais. A tonalidade da água, de qualquer forma, tende a ficar esverdeada devido à presença dos organismos naturais.

A primeira preocupação que costuma vir à cabeça de qualquer um quando se fala de piscinas naturais é: “Mas fica limpa mesmo?”
Quanto a isso, existem algumas variáveis. A qualidade de execução da piscina, que deve ser feita por pessoal especializado, que sabe escolher as espécies de plantas e microrganismos adequados a cada situação e também construir a piscina da melhor forma. E também a presença ou não de animais na água como peixes ou patos. Se existirem esses animais, a água obviamente  fica com mais resíduos do que quando eles não estão lá. No entanto, podem ser utilizadas algas ou outros elementos para realizar a limpeza de maneira automática.

No final das contas, de maneira geral, as piscinas naturais tendem a ser uma opção melhor em termos de saúde, porque o impacto gerado por ela, mesmo se existir, é sempre menos agressivo do que o dos produtos utilizados na limpeza da piscina comum.

Confira algumas piscinas que seguem esse modelo natural pelo mundo:


AUSTRIA

Israel

Alemanha

Suiça

Alemanha

Confira mais fotos inspiradoras de piscinas naturais no link do projeto (aqui). Todas as imagens utilizadas no post tem seus direitos reservados ao projeto bio.top,