quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Borboletas no Estômago

Há seis anos atrás conheci uma pessoa que mudou completamente a minha vida, dizem que não existe esse sentimento chamado amor, mas eu sou a prova viva que existe sim. Seis anos sofrendo de um amor platônico, você deve pensar, esse cara é um imbecil de ficar sofrendo por alguém que não dá a minima para ele. Realmente eu sou muito imbecil, talvez o destino me pregou essa peça, e nessa vida eu deva pagar por algo que fiz em outros tempos, mas preferia pagar com qualquer dinheiro que pagar com tanto sofrimento. Ninguém pode imaginar a dor que existe em meu coração, cada vez mais quebrado, e quando penso que foi cicatrizado, e que não sentirei mas nada por essa mesma pessoa, ela aparece e o simples fato de passarmos alguns minutos juntos é o suficiente para rasgar meu coração, e como se não bastasse até em meus sonhos essa pessoa tem interferido, ao dormir na esperança de esquecer tudo por um momento se quer, me aparece em sonhos, com a ilusão de um doce abraço, que me acorda, e quando acordo e percebo que foi tudo tão irreal, desabo em lagrimas silenciosas, em cada lagrima mil razões, suficientes para me tirar o gosto pela vida.

Um amor covarde desse não deveria existir, um sentimento marginal assim não deveria poder ser sentido. Corações não deveriam ser quebrados assim, não culpo, por não me corresponder, por não me amar. A sugestão de de um colega de curso foi que eu usasse encantamentos e rituais para te atrair a até mim, mas não posso aceitar de ter assim, por mais que te ter é a unica coisa que eu quero, mas teria que ser de corpo e alma. Jamais tentaria nada contra essa pessoa, muito menos amarra-la a mim com encantamentos, o amor é livre, e se o preço da sua felicidade é meu sofrimento, que eu sofra. Fui amigo, fui fiel, são seis anos, não seis dias!

É engraçado as vezes a gente sente, fica pensando que está sendo amado, e que encontrou tudo que a vida poderia oferecer, em cima disso construímos nossos sonhos, e nossos castelos, até que a pessoa que amamos, não corresponde, e coloca tudo a perder. Não estava entendendo o que acontecia comigo, já não sinto gosto em nada, já não sinto mais fome, e até o sono me foi tirado. A insegurança e a solidão é o que me acompanha, e as borboletas em meu estômago toda vez que chega perto de mim é o suficiente para confirmar, esse tal de amor. Talvez minha presença incomode, acho que preciso consertar meu coração, e trancalo em mil chaves, talvez eu precise apenas não confiar mais nas pessoas, não acreditar mais nesse tal de amor, e viver minha vida sentimental da forma mais fria possivel. Me resta uma certeza que eu deva me afastar. Talvez assim, só assim eu sinta alguma paz! :(

Nenhum comentário

Postar um comentário

© gislei
Maira Gall