Perfil


❝ Quem é você?, perguntou a Lagarta. Não era uma maneira encorajadora de iniciar uma conversa. Alice retrucou, bastante timidamente: "Eu - eu não sei muito bem, Senhora, no presente momento - pelo menos eu sei quem eu era quando levantei esta manhã, mas acho que tenho mudado muitas vezes desde então.

Se definir é uma tarefa difícil para qualquer um, mas eu tenho certeza de que é um pouco mais complicado comigo. Sou o tipo de pessoa que pode ser considerado muito mutável, portanto nem eu sei ao certo quem eu sou de verdade. Me perco, me procuro e me encontro. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar. Não me dôo pela metade, não sou teu meio amigo nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termos. Sou astucioso, e quando quero um pouco bobo. Ingênuo quando prefiro, mas não santo, isso jamais. Sou pessoa de riso fácil, mas choro também, então me embriago.
Oi! Eu sou Gislei, não sou o melhor para se descrever, por mais que venha acreditar que as palavras são um ponto chave para muitas coisas, acredito que para definição pessoal é meio complicado até porque estamos sempre em constante mudanças por menores que sejam elas. Tenho 18 anos e gostaria de regredir ao passado para consertar algumas coisas. Mas sei que tudo que aconteceu foi porque tinha que acontecer e de certa forma foram coisas construtivas, portanto há uma contradição em minhas palavras. Gosto de sair com amigos - verdadeiros -, viajar, acampar, ouvir música, comer, comer e comer, as vezes também curto ficar sozinho e apreciar a minha boa companhia. As vezes também finjo ter uma autoestima inabalável mesmo que esteja ferido por dentro. Com o tempo aprendi a ser como cristal puro, se cair quebra, mas se pisar corta.

Às vezes acontece uma ânsia, uma necessidade de extravasar pensamentos e sensações e de externar emoções e delírios. Então, esse espaço transborda e permite que expressões, significados, possibilidades, multiplicidades, aberturas, contrapontos e até contradições e ausências aconteçam. É que muitas vezes descobrimos que não queremos mais guardar a alma ou ser um esclarecimento oculto, mas fazer parte da confusão. Muitas das vezes quando me batia um vazio por dentro, eu não sabia o que fazer era um sentimento profundo e terrível algo como um medo de perder meus pensamentos, minhas aventuras, e meus bons tempos. Com isso em 2010 resolvi criar um blog para eternizar uma parte de minha vida, e ai nasceu o quasemeianoite.com que mais tarde se transformou no atual blog que você esta lendo. Vale lembrar que esse é um blog estritamente pessoal. daqueles que se fazia antigamente, antes de virar profissão. assim como eu, ele não existe para atender às suas expectativas ou fazer muito sentido. em contrapartida, também não vai tentar te vender nada. nem mesmo o meu peixe - que está fresquinho, caso interesse…

“É importante esclarecer que este blog, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, usa das prerrogativas constantes dos incisos IV,V e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal. “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV),"é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem" (inciso V), "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença" (inciso IX).”