O ultimo fragmento.

Escrito por: Gislei GISLEI BRASIL, GISLEI, Gislei, G I S L E I, g i s l e i, G i s l e i terça-feira, 4 de abril de 2017
separtitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitle
Bem, houve um momento que eu achava que já havia superado aquele antigo amor que tanto mudou minha vida em todos os aspectos, entretanto, é significativo ressaltar o quanto um simples sonho em meio a madrugada pode mudar tudo, de novo. R nunca teve culpa de todo o amor e expectativas que criei a seu respeito, nunca alimentou tal sentimento. Não há outra pessoa para atribuir tal culpa se não a mim mesmo, fui muito ingenuo, acreditei muito e criei expectativas surreais a nosso favor; me recordo que sempre me tratou com extrema gentileza e compreensão em muitos sentidos, mas isso foi devido a seu bom coração com todas as pessoas, quando conversávamos sobre a vida e seus fatores sua mentalidade tão profunda para uma pessoa tão jovem era mais um dos fatores que me faziam cada vez mais se apaixonar.

Talvez eu nunca ame de novo outra pessoa com a mesma intensidade que foi no tempo de minha mocidade, grande parte de minha energia e amor foi oferecida para R. Me pego surpreso por estes sonhos mexerem tanto com minha estrutura emocional mesmo depois de tanto tempo, o pior de tudo foi a indiferença que se criou entre nós e nem a oportunidade de converter aquele sentimento em amizade eu tive, afinal fui enjaulado dentro de mim mesmo e todos os dias era açoitado com pinche e fogo do inferno, até que pude aprender a controlar toda essa escuridão que se instalou, e hoje me resguardo nela. Em cada sorriso que contemplava em suas redes sociais, uma lança flamejante rasgava minha alma, não foi fácil me adaptar a ideia de que tudo que sentia nunca iria se concretizar, nunca iria ser entendido, nunca iria ser correspondido, mas toda a culpa é minha, e da minha estupidez de acreditar que um dia fosse possivel.

Hoje, acredito que esta seja a ultima referencia em meu blog sobre R. Guardarei as melhores memorias que possa ter de alguém que me fez muito bem mesmo que de forma involuntária, e que me trancou em trevas sem ao menos perceber. Desejo aos céus que a felicidade e esplendor cubra a sua vida, e que me perdoe por algum transtorno que possa ter causado em sua jovem vida, tento seguir meus planos, e tem dado certo, talvez algum dia o destino me presenteei com tua amizade de novo, e as coisas possam ser diferentes, mas a probabilidade da certeza é que nosso contato foi rompido, o destino acabou-se por cumprir o que estava escrito.

Um velho colega seu, até porque amigos você falou que nunca fomos.
Não, nada de nada. Não, não me arrependo de nada. Nem o bem que me fizeram. Nem o mal, tudo isso hoje tanto faz!

Nenhum comentário :

Postar um comentário