a ultima terça de 2015

Escrito por: Gislei GISLEI BRASIL, GISLEI, Gislei, G I S L E I, g i s l e i, G i s l e i terça-feira, 29 de dezembro de 2015
separtitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitle
Terça-Feira a ultima do ano de 2015, já quase meia noite, um pouco alterado devido a quantidade de uisq ingerida, escrevendo com a ajuda do corretor online.

Um texto quase sem nexo, mas com alguma mensagem para transmitir, talvez o meu transe psicótico produzido pelo álcool misturado a musica de moby, há pouco cheguei em casa, estava em um bar bem conhecido mas tampouco prezado aqui na cidade, dizem que lá é um bordel, mas quem tem moral para falar de bordel? Estou em frente a meu velho computador, com um diabo de um gel clareador ardendo em meus dentes, escrevendo para ninguém, transmitindo uma mensagem qualquer para amenizar minha solidão e fracasso achando que sou bom. Uma terça como qualquer outra foi hoje, dormindo até as 11 da manha, acordando como príncipe e caindo no choque de plebeu, enfrentando a loja de minha mãe durante a tarde para garantir a cachaça que bebi a noite em um bar pouco familiar. e assim por diante, uma vida nada normal, ou quem sabe a mais normal de todas. a verdade é que as ilusões que criamos de nós mesmos aos poucos vão caindo ao chão, e a dura face que guardamos para sí vai sendo vista no resplendor da verdade, em certo momento as mentiras que criamos para construir nossos castelos de farças vão caindo e apenas a quase verdade permanece, até porque a verdade nem nós mesmos sabemos qual é. Quase seria esta minha verdade? qual seria estes meus sonhos? se nem consigo garantir a gramatica correta de começar com letras maiúsculas o meu post.

Tudo já é tão fácil para nós, mas sempre queremos mas, até quando?

Nenhum comentário :

Postar um comentário