Falando de Experiências Fora do Corpo

Escrito por: Gislei September 10, 2015 ·
separtitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitle
Entrevista com Wagner Borges - Publicada na Revista Vialuz – número 10; páginas 35 a 39 - setembro de 1998.

Vialuz: O que é uma projeção astral?
Wagner Borges: Projeção astral é a capacidade parapsíquica da consciência se projetar temporariamente para fora de seu corpo físico. É conhecida popularmente como viagem astral ou saída do corpo. Dependendo da doutrina ou grupo que pesquise esse assunto, os nomes para isso são os mais diversos. Por exemplo: projeção astral (Teosofia); experiência fora do corpo (Parapsicologia); projeção da consciência (Projeciologia); desdobramento espiritual, desprendimento espiritual ou "emancipação da alma (Espiritismo); saída astral (Gnose); projeção do corpo psíquico (Ordem Rosacruz); ou simplesmente, viagem fora do corpo.

Vialuz: Quer dizer que projeção astral é o mesmo que viagem astral, ou saída do corpo?
Wagner Borges: Sim, é a mesma coisa. É que cada um chama por um nome diferente, mas é a mesma experiência.

Vialuz: É um fenômeno que só ocorre com médiuns e iniciados esotéricos, ou ocorre também com as pessoas comuns?
Wagner Borges: As experiências fora do corpo ocorrem naturalmente com todos os seres humanos. É capacidade natural da pessoa. Independe de contexto religioso, cultural, social, esotérico, sexual ou racial. Ocorre que, quando nos deitamos para dormir, o nosso corpo sofre uma redução natural de seu metabolismo. Os batimentos cardíacos ficam mais tranquilos, e o padrão de ondas cerebrais se modifica. Enquanto o corpo físico descansa, o corpo espiritual - também chamado de corpo astral, perispírito, psicossoma, corpo da alma, corpo sutil, ou corpo de luz -, desprende-se e flutua por cima da parte física. Por ser um corpo de natureza sutil, pode se locomover em alta velocidade e voar a lugares do plano físico ou espiritual.
Essa experiência pode ocorrer de três maneiras básicas:
- Projeção consciente - a pessoa está lúcida fora do corpo e pode controlar a experiência.
- Projeção inconsciente - a pessoa está projetada fora do corpo, mas não tem consciência. Está dormindo fora do corpo.
- Projeção semiconsciente - a pessoa está fora do corpo, meio-desperta. Percebe as coisas, mas não consegue interagir lucidamente com a experiência.

Vialuz: Quais são os sintomas de uma saída do corpo?
Wagner Borges: Os sintomas preliminares de uma projeção são variados. Inclusive, muitos leitores da Vialuz se sentirão familiarizados com alguns deles. Normalmente, as pessoas sentem esses sintomas durante o sono, mas, devido à falta de informação do que está acontecendo, elas ficam com medo de contar para outras pessoas.
Descreverei agora estes sintomas:
- Catalepsia projetiva: Esse fenômeno causa medo em muitas pessoas, mas é muito mais comum do que se pensa. A pessoa acorda no meio da noite (ou mesmo numa soneca durante o dia), e descobre que não consegue se mexer. Parece que uma paralisia tomou conta do seu corpo. Ela não consegue mexer um dedo sequer. Tenta gritar para chamar alguém, mas não sai voz nenhuma. A pessoa luta tenazmente para sair desse estado, mas parece que uma força invisível tolheu-lhe os movimentos. Inclusive, pode ter alguém deitado do lado e não perceber nada do que está acontecendo tão perto.
Dominada por aquela paralisia, a pessoa grita mentalmente: "Eu tenho que acordar! Isso deve ser um pesadelo!" - Mas ela já está acordada, só não consegue se mover.
Devido ao pânico que a pessoa sente, seus batimentos cardíacos se aceleram. A adrenalina se espalha pela circulação e estimula o corpo. O resultado disso é que a pessoa recupera os movimentos abruptamente, normalmente com um solavanco físico (espasmo muscular). Em poucos momentos, seu cérebro racionaliza o fato e dá a única resposta possível: “Foi um pesadelo!”
Algumas pessoas mais impressionáveis podem fantasiar algo e jogam a culpa da paralisia em demônios ou seres espirituais. Na verdade, a pessoa acordou no meio de um processo energético decorrente da mudança do padrão de vibrações do corpo espiritual* em relação ao corpo físico. Ela acordou num estado transicional dos corpos.
Simplesmente ela despertou para uma situação que ocorre todas as noites quando ela dorme. Antes, ocorria com ela adormecida, e naquela situação ela acordou bem no meio da transição.
Se a pessoa ficar quieta e não tentar se mover, sentirá uma sensação de flutuação por sobre o corpo. Ocorrerá um desprendimento espiritual consciente! E então ela poderá comprovar na prática de que aquilo é realmente uma saída do corpo. Verificará, por ela mesma, que não se trata de doença ou coisa do demônio.
Se ela não quiser tentar a experiência, é só tentar mover o dedo indicador de uma das mãos - ou uma das pálpebras -, assim ela recupera o movimento tranquilamente.
- Ballonemant: A pessoa acorda e sente a sensação de estar inflando (semelhante a um balão se enchendo). Na verdade, é sua aura** que está dilatando, mas como ela não sabe disso, pensa que é o corpo que está crescendo e inchando em todas as direções. Se a pessoa ficar quieta e deixar a sensação continuar, ela se projetará suavemente para fora do corpo.
Não há perigo algum. Inclusive, essa sensação é muito familiar a sensitivos e médiuns em geral, pois eles têm forte tendência de soltura energética.  
- Sensação de falsa queda durante o sono ou cochilo: Quase todo mundo já sentiu isso alguma vez. A pessoa está deitada cochilando (hipnagogia***) e, repentinamente, tem a sensação de estar escorregando ou caindo abruptamente da cama. Então, ela desperta com um solavanco físico e um pequeno susto. O que aconteceu?
Simplesmente seu corpo espiritual deslocou-se uma polegada para fora do alinhamento energético com o corpo físico e foi tracionado vigorosamente para dentro, pois o metabolismo ainda estava ativo e impediu uma soltura maior.
Quando eu era pequeno, minha avó dizia que isso acontecia comigo porque eu estava crescendo. Só que não cresci muito (tenho 1,67 de altura), e até hoje isso acontece comigo.
- Estado vibracional: A pessoa desperta no meio do sono e sente uma série de vibrações (descargas energéticas) propagando-se pelo seu corpo. Parece que ela tem uma tempestade elétrica percorrendo seu corpo, às vezes acompanhada de fortes zumbidos dentro da cabeça. Isso ocorre porque o corpo espiritual acelera suas vibrações**** para escapar das lentas vibrações do corpo denso. Se a pessoa ficar quieta e deixar a sensação continuar, ela se projetará em instantes.
Há outra sensações decorrentes da soltura do corpo espiritual em relação ao físico, mas essas são as mais comuns.

Vialuz: Quais são as vantagens para um projetor consciente?
Wagner: Só para esclarecer ao leitor: a pessoa que se projeta para fora do corpo é chamada tecnicamente de "projetor" (ou “projetora”). Antigamente, o pessoal chamava de "viajante astral", "viajor espiritual", "projetor astral", “andarilho das estrelas”, e outros.
As vantagens dessa experiência consciente são inúmeras:
- A pessoa comprova, por ela mesma, que ela não é somente o corpo físico. Sabe, portanto, que pode viver independentemente do corpo carnal. Sabe que é uma consciência espiritual - e seu corpo é a vestimenta carnal transitória.
- Pode encontrar-se, fora do corpo, com as pessoas amadas que já desencarnaram e manter um contato espiritual com elas.
- Pode ajudar pessoas mediante a aplicação de energia consciencial fora do corpo (de forma semelhante a um passe extrafísico).
- Pode encontrar-se com seres espirituais evoluídos, que lhe ensinarão preciosas lições de maturidade e evolução.
- Literalmente, a pessoa perde o medo da morte, pois vendo-se fora do corpo denso e encontrando-se com seres extrafísicos, ela descobre que a morte não aniquila a consciência de ninguém, apenas muda o seu foco e vibracão para os planos extrafísicos.
- No mínimo, é uma maneira de aproveitar as horas de sono para evoluir. E sem gastar energia do corpo, pois o mesmo está adormecido e se recuperando pelo sono.
- Resumindo: Enquanto a consciência se manifesta nos planos extrafísicos, o corpo descansa. Quando ela volta ao corpo, pode ou não lembrar-se dos fatos vivenciados. É que o cérebro pode apagar a lembrança dessas vivências extracorpóreas e misturar por cima um monte de sonhos. Quando a pessoa desperta fisicamente, lembra-se apenas de uma mistura de imagens incoerentes. No entanto, tudo aquilo que ela aprendeu fora do corpo fica registrado em seu subconsciente e surge no momento oportuno como inspiração nos momentos de vigília mesmo. Nada se perde dentro da alma!

Vialuz: Há um código de ética entre os projetores? Existe forma de comportamento quando se está projetado?
Wagner: Há um código de ética extrafísico (Cosmoética), e seus valores de referência são baseados naquilo que o projetor pensa, sente e faz. Portanto, se alguém tentar uma experiência fora do corpo com motivos negativos, ela será a primeira a se prejudicar! Semelhante atrai o semelhante. No mesmo instante em que ela estiver pensando alguma coisa negativa, ela atrairá energias e seres espirituais negativos para dentro de sua aura. Ela será a primeira a sofrer as consequências de suas más intenções.
Tudo aquilo que pensamos e sentimos reflete-se em nossa aura espiritual. Logo, o nosso corpo espiritual manifesta a média energética do que somos como consciências. Por isso, é fundamental nos motivarmos na direção de tudo aquilo que seja positivo e de acordo com as leis superiores do Universo.

Vialuz: Para fazer uma viagem astral a pessoa precisa se preparar através de exercícios energéticos ou de concentração? E tem que ter alguma alimentação especial?
Wagner: Exercícios de ativação dos chacras***** e de concentração e visualização criativa ajudam muito a despertar a lucidez extrafísica. Porém, fica difícil descrever algumas dessas técnicas no espaço que dispomos aqui nessa entrevista. Por isso, sugiro ao leitor que acesse o site do IPPB na internet. Lá tem várias informações e dicas práticas sobre as saídas do corpo. O endereço é: www.ippb.org.br  
Sobre alimentação, o que interfere realmente é a hora em que a pessoa ingere o alimento. Se ela comer imediatamente antes de deitar, dificultará o processo projetivo, pois estará saturando o corpo num momento em que ele precisa estar pronto para relaxar e aprofundar o sono. No meu caso, não faço nenhuma alimentação especial. Não como carne vermelha há anos, mas quando comia me projetava da mesma maneira. Acho que a questão da alimentação está muito envolvida em radicalismos variados. Conheço projetores carnívoros e vegetarianos. Acho que uma alimentação mais leve, sem tanta proteína e gordura animal é muito boa para a saúde do corpo físico. Mas em relação a consciência, o que determina mesmo a qualidade é o que pensamos, sentimos e fazemos.

Vialuz: O que mudou em sua vida depois dessas saídas do corpo?
Wagner: Comecei a ter experiências fora do corpo na adolescência. Nesses anos todos, tenho aprendido muitas coisas bacanas. Há vários espíritos legais que encontro fora do corpo e que me ensinam muitas coisas. A própria experiência em si mesma já muda o jeito da gente em muito, pois você vive com a plena certeza de que não morre. Você sabe que a perda de alguém que ama é temporária. Você pode encontrá-la fora do corpo e abraçá-la alegremente. Com certeza os seus olhos brilham mais e você encara a vida com melhores perspectivas, mesmo com todos os problemas que surgem na vida diária.
Uma coisa é certa: se eu não vivesse essas experiências, acho que não seria tão bem humorado. Quando penso que sou imortal, começo a rir. E aí percebo que o meu coração está aberto e os meus chacras estão radiantes. O resultado desses estudos e práticas espirituais é que estou bem comigo mesmo e cheio de boa vontade de aprender tudo de bom de qualquer área.

Vialuz: Você segue alguma linha espiritual em particular?
Wagner: Não. Eu estudo de tudo e mantenho a mente e o coração sempre livres. Estudo Hinduísmo, Taoísmo, Espiritismo, Umbanda, Ocultismo, Teosofia, Eubiose, Antroposofia, Budismo e outros... Procuro somar as melhores partes de cada área numa síntese bem equilibrada. Se quiser, coloca aí que sou espiritualista. Ou então, "sempre livre!"

Vialuz: Conte uma experiência que tenha lhe marcado muito.
Wagner: Tem tantas. Vou citar algumas bem por alto.
Certa vez, fui levado por um grupo de espíritos chineses para fora da Terra, em pleno espaço sideral. Encontramos um grupo de seres extrafísicos que tinham a forma de focos de luz. Eram muito avançados e, por intuição, eu sabia que eles eram egressos de outros orbes. Um deles interpenetrou minha mente e tentou me passar vários ensinamentos. Só que os conhecimentos eram tão avançados que eu não conseguia assimilar direito. Eles tentaram várias vezes, mas eu não consegui captar corretamente as informações. Voltei para o corpo frustrado e danado da vida comigo mesmo. Então, um dos espíritos chineses me disse o seguinte: “Quando nós o levamos lá, já sabíamos que você não entenderia nada mesmo”.
Daí eu perguntei a eles: “Então, porque me levaram até lá?”
Eles responderam: “Levamos lá para que você tenha a noção correta de que não sabe quase nada! Quando você achar que sabe muito, lembre-se dessa experiência”.  
De outra feita, fui projetado dentro do útero de uma amiga minha, que estava grávida de oito meses e comuniquei-me com sua filha lá dentro. Foi uma experiência muito bonita. Mas, nem só de experiências bonitas vive um projetor. Já vi muita coisa medonha mesmo. Têm espíritos revoltados que portam uma atmosfera muito pesada. Muitas vezes, o projetor é levado para dar passes extrafísicos nesse pessoal.
Se eu ficar contando relatos projetivos aqui, nós vamos levar horas conversando. Da próxima vez que vocês me convidarem para vir aqui, aí eu contarei com mais detalhes várias experiências.

Vialuz: Você pode indicar uma bibliografia de livros sérios sobre projeção para os nossos leitores?
Wagner: Claro. Vamos lá:

- Viagem Espiritual - Vols. 1, 2 e 3" - Wagner Borges - Editora Universalista.
- Aventuras Além do Corpo - William Buhlman - Editora Ediouro.
- Viagem Extrafísica - Geraldo Medeiros Jr. - Editora Forever.
- Projeções da Consciência - Waldo Vieira; Editora IIPC.
- Projeciologia – Waldo Vieira – Editora IIPC.
- Viagens Fora do Corpo - Robert Allan Monroe - Editora Record.
- A Projeção do Corpo Astral - Sylvan J. Mulddon e Hereward Carrington - Editora Pensamento.
- Além do Corpo - Marco Antonio Coutinho – Editora Mauad.
- Sana Khan - Um Mestre no Além - Luiz Roberto Mattos - Editora Universalista.
- Voltar do Amanhã - George G. Ritchie - Editora Nórdica.
- A Viagem de Uma Alma - Peter Richelieu - Editora Pensamento.
Obs.: para ver uma extensa bibliografia específica (nacional e internacional) sobre as experiências fora do corpo, favor acessar o site do IPPB, no seguinte endereço específico: www.ippb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=6637&Itemid=71  

- Notas:
* Corpo espiritual - Cristianismo - Cor. I, cap. 15, vers. 44.
Sinonímias: Corpo astral - do latim, astrum - estrelado - expressão usada pelo grande iniciado alquimista Paracelso, no séc. 16, na Europa, e por diversos ocultistas e teosofistas posteriormente.
Perispírito - Espiritismo - Allan Kardec, séc. 19, na França.
Corpo de luz – Ocultismo.
Psicossoma - do grego, psique - alma; e soma, corpo. Significa literalmente "corpo da alma" - Expressão usada inicialmente pelo espírito André Luiz nas obras psicografadas por Francisco Cândido Xavier e por Waldo Vieira, nas décadas de 1950-1960, que atualmente é mais usada pelos estudantes de Projeciologia.
** Aura – do latim, aura - sopro de ar – halo luminoso de distintas cores que envolve o corpo físico e que reflete, energeticamente, o que o indivíduo pensa, sente e vivencia no seu mundo íntimo; psicosfera; campo energético.
*** Esse estado transicional é típico dos estados alterados de consciência, onde o foco da consciência troca de centro, dos sentidos físicos para os sentidos astrais (parapercepções do psicossoma). É chamado pela Medicina de estado hipnagógico (de hipnagogia), limítrofe entre a vigília e o sono. Quando ocorre na volta do sono para a vigília, é chamado de estado hipnopômpico (de hipnopompia). Ambos são estados alterados da consciência e tem muito a ver com diversas visões e sensações decorrentes de sintomas projetivos ou parapsíquicos.
***** Chacras - do sânscrito - são os centros de força situados no corpo energético e têm como função principal a absorção de energia - prana, chi -, do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico.
Os principais chacras são sete – que estão conectados com as sete glândulas que compõem o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico.
Obs.: Enquanto eu passava essas linhas a limpo, lembrei-me de um texto postado no ano de 2005. Penso que sua leitura enriquecerá espiritualmente o final dessa entrevista, pelos toques concienciais que apresenta. Segue-se o mesmo na sequência.

VIAJANDO ESPIRITUALMENTE COM O ANDARILHO DE LUZ

Imagine um ambiente extrafísico pesado, umbralino*, carregado de energias desagradáveis e de espíritos atormentados, onde sopra continuamente uma intensa ventania cinzenta e se escutam lamúrias perdidas na noite dos tempos.
Em meio à ventania zunindo terrivelmente, com pequenas partículas energéticas açoitando o próprio ambiente, como se fossem muitos grãos de areia arremessados violentamente pelo ar cinzento, você divisa vários espíritos sendo jogados para todos os lados. Eles estão esfarrapados e gritando, perdidos na loucura que os fez plasmar tal ambiente em torno de si mesmos, fruto direto das atrocidades que cometeram em vida, e que os acompanhou além da morte, dentro deles mesmos, como culpas terríveis, agora ejetadas para fora e plasmando um ambiente umbralino à sua volta.
Em meio a esse ambiente dantesco, bem no centro da ventania cinzenta, surge a figura de um homem alto e forte, que permanece firme no ar, atravessando as camadas densas em volta. Ele aparenta ter uns 45 anos, cabelos louros e barba clara cerrada. Só dá para ver o seu semblante e os cabelos esvoaçando no vento. Do pescoço para baixo, sua aparência é de um corpo de luz. Mas o principal nele são os olhos: como brilham em meio àquela atmosfera cinzenta.
No geral, sua figura manifesta uma aura de firmeza e compaixão. Ele é uma fortaleza consciencial, um mestre espiritual, um médico da alma, um andarilho de luz.
No meio daquele inferno cinzento, ele é pura serenidade com firmeza de propósitos.
Fico quieto e presto atenção no que ele está fazendo ali, enquanto procuro controlar minhas emoções, para não cair em lágrimas e não perder a excepcional lucidez do momento.
Vejo-o deslizar em meio à atmosfera cinzenta e sinto que ele está fazendo um grande esforço para se manter condensado energeticamente em tal plano. Sozinho, ele aprofunda o olhar extrafísico (paravisão), e localiza no meio da ventania cinzenta os espíritos atormentados, arremessados violentamente em meio às formas-pensamento** dantescas que enxameiam o ambiente, como se fossem figuras fantasmagóricas flutuando à deriva.
Daí, ele começa a aplicar vigorosos passes energéticos no meio do vento, e os espíritos sofredores são atraídos em sua direção. Um a um, ele os projeta vigorosamente para cima, bem alto, onde se abriu um portal luminoso (uma passagem entre planos, um atalho energético), por onde eles passam e somem deste plano, para serem atendidos por outros amparadores nos ambientes assistenciais do Astral.
Fico olhando, maravilhado, o seu trabalho: um Ser de Luz pescando os espíritos na ventania e arremessando-os para o alto, para a LUZ DO AMOR QUE CURA INCONDICIONALMENTE!
Observo-o arrebatar muitos espíritos, e tudo isso sozinho, segurando a barra nesse plano denso, super atento, com cuidado e compaixão nos seus movimentos energéticos vigorosos.
A essa altura, vendo essa assistência extrafísica sendo feita com tal competência e qualidade, sou tomado por uma grande admiração sadia por esse médico das almas.
Nesse momento, ele levanta o olhar em minha direção e me olha diretamente nos olhos. Então, sou invadido por uma onda de Amor indescritível, que me preenche completamente de uma alegria serena, junto com uma sensação de firmeza e energia incríveis. O brilho de seus olhos derrama bálsamos curativos e energizantes em todo o meu ser. Sinto que estou sendo vivificado energeticamente.
Em meio a isso, percebo algumas imagens do passado dele, há séculos atrás, quando ele era médico e atendia os pobres e desvalidos, aqueles doentes sujos e chagados que ninguém queria por perto. Pois ele os atendia com toda atenção e carinho. Costumava viajar como andarilho pelas antigas aldeias dos povos nórdicos, atendendo aqui e ali, sempre dando apoio aos pacientes.
Ao fim dessa vida, que foi sua última estadia na Terra, ele continuou o seu atendimento nos planos extrafísicos, sempre atendendo os espíritos desvalidos nos umbrais espirituais. Sempre trabalhando sozinho e atendendo nos ambientes mais difíceis do Astral inferior.
Ele, o médico das almas, o andarilho das estrelas, que agora me enche de Amor e Luz com um simples olhar sereno.
P.S.:
Ele, um mestre sereno e anônimo, que sustenta uma barra pesada sozinho.
Ele, um mestre da Luz, que galgou seu alto nível ajudando os desvalidos dos dois mundos, o visível e o invisível.
Ele, o Andarilho de Luz, que o mundo dos homens tristes não conhece, e que jamais será reverenciado pela devoção das pessoas, pois ele trabalha anonimamente, no Silêncio Que Ama Incondicionalmente, que ajuda a todos e que jamais julga alguém nem condena coisa alguma, só cura e transmite aquela Paz que não é desse mundo.
Ele, o curador secreto, sem nome e sem fama, sem seguidores, sem alarde, sem
ego, sozinho no meio das trevas conscienciais, cheio de compaixão e atenção.
Ele, o Andarilho de Luz, que mesmo no meio de um trabalho desgastante no umbral, ainda assim me viu e me encheu de um amor que não sei explicar, só sentir.
Ele, um servidor do Grande Espírito, ao qual ficarei eternamente grato pelo exemplo de firmeza e compaixão na prática.
Ele, que me deu um presente secreto em seu olhar luminoso, que carregarei para sempre dentro de meu coração.
Ele, sobre o qual nada mais posso dizer, pois as palavras são muito pobres para fazer jus ao seu nível maravilhoso.
Ele, o Andarilho de Luz, que arrebatou os espíritos no meio da ventania cinzenta, que me encheu de Amor sereno, e que me disse mentalmente:
“Nunca desista dos objetivos sadios e criativos.
Jamais deixe a ingratidão alheia lhe ferir nem dê guarida à mediocridade em seu ser.
Dependa de si mesmo, busque a luz do eterno dentro do coração.
Não julgue ninguém e ajude quem puder, sempre com dedicação e plena atenção.
Ande pelo mundo como um servidor da LUZ.
Simplesmente, seja LUZ!”
- Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma, que não sabe como agradecer ao Grande Arquiteto Do Universo por todas as chances de crescimento consciencial que recebe.
Jundiaí, 04 de abril de 2005.

- Notas:
* Umbralino: relativo a Umbral, o plano extrafísico denso. 
** Formas-pensamento: formações mentais modeladas e organizadas pelo pensamento e a imaginação; formas ideoplásticas.

No comments :

Post a Comment