Quem sabe um dia regresse...

Escrito por: Gislei GISLEI BRASIL, GISLEI, Gislei, G I S L E I, g i s l e i, G i s l e i quinta-feira, 14 de agosto de 2014
separtitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitlesepartitle
Mergulho as mãos no mar, como se quisesse aprisioná-lo entre os meus dedos, como se desejasse fazer dele teu corpo, moldá-lo, senti-lo como se fosses tu. Escrevo sobre a areia molhada, os versos que não te disse, sentidos reprimidos pela frieza do cotidiano. As ondas quebram as frases, apagam os desejos e arrefecem o corpo, arrastando para o fundo do oceano as esperanças escritas.

Me abandono nesta praia deserta, esperando que a maré leve o corpo, pois a alma à muito partiu, queria me encontrar ainda com a réstia de vida que faz bater o coração e alimentar a mente, mas, o espírito partiu, para uma viagem através dos desertos da eternidade, vales de sombras, florestas geladas, numa travessia da minha própria solidão.

Quando a alma se abre, como vela de um barco à deriva, recolhe em si todas as brisas, todos os ventos, enchendo-se, mas a cada tempestade o pano cede às forças da natureza rasgando-se em pedaços, perde-se o rumo e o navio acaba se perdendo na solidão do vazio. A Noite, traz com elas a estrelas e o silêncio que me permitem adormecer embalado pela suavidade das ondas. Quem sabe um dia, se descubra a alma deste corpo, que jaz sobre a areia da praia. Quem sabe um dia alguém seja capaz de me devolver a vida perdida. Quem sabe um dia regresse..

2 comentários :

  1. Estou comentando neste post pelo motivo de o mais novo ter repetido, eu acho. Bom, acho que tem um post parecido com aquele. E antes que eu comece mesmo a falar sobre suas palavras eu quero dizer que o design do seu blog está divino! Combinou muito contigo e o nome do blog, por favor, espero que mude daqui a muitos meses, pois gostei muito dessa visão.

    Que lindas palavras Gislei, estou ouvindo uma música neste momento e ela só fez complementar o meu raciocínio. Meu trecho favorito foi esse: "Quando a alma se abre, como vela de um barco à deriva, recolhe em si todas as brisas, todos os ventos, enchendo-se, mas a cada tempestade o pano cede às forças da natureza rasgando-se em pedaços, perde-se o rumo e o navio acaba se perdendo na solidão do vazio".
    Continue a escrever assim, meu caro.

    Xoxo || Once Upon a Time

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas palavras, como sempre muito gentil Samy! ♥
      Quanto ao layout do blog, acredito que você se referiu ao estado 1.7 do template, que no momento acabou de ser atualizado para o 1.8, mas mesmo assim espero que venha a agradar! :)

      Excluir